quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

ACADEMIA ESTUDANTIL DE LETRAS POETA ANTÔNIO FRANCISCO - APODI-RN

PATRONO - ANTONIO FRANCISCO TEIXEIRA DE MELO"A cultura forma sábios; a educação, homens."
FUNDADA EM VIII - XII - MMVIII - A PRIMEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

EQUIPE COORDENADORA

- Rokatia Kleania -


ROKATIA KEANIA LOPES MARINHO PINTO , natural de Apodi-RN, nascida a10 de fevereiro de 1973, filha de RAIMUNDO MARINHO PINTO, natural de Apodi, nascido a 9 de agosto de1944, filho Francisco Oliveira Pinto, filho de João de Oliveira Pinto e de Joana Gomes de Oliveira; e de Maria das Dores Pinto, filha de Valentim Marinho de Oliveira e de Antonia Bela de Oliveira; e de IVANISE LOPES DE SENA PINTO,natural de Apodi, nascida a 30 de setembro de 1940, filha de FRANCISCO LOPES DE OLIVEIRA (CHICO LOPES) e ALZIRA ALVES DE SENA.
Graduada em Letras, pela UERN-Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Campus Central, Mossoró-RNc, om Pós-Graduação em Gestão Educacional. Com muito orgulhoexerce a profissão de Professora desde os 17 anos. Leciona Língua Portuguesa na Escola Estadual " Professor Gerson Lopes" , sediada em Apodi e atua na Sala de Leitura da Escola Municipal " Professora Maria de Lourdes Mota", coordenando projetos de incentivo à leitura. Assina colunas em jornais, "Gosta de Ler", e Também faz parte da "Textus" - empresa prestadora de serviços de tradução, revisão e adequação de textos. além de possuir seu blog intitulado de "DIÁRIO DE UMA PROFESSORINHA". Confira na INTERNET

- Presidente de honra



JOSÉ DE PAIVA NETO , conhecido por "JHOTA PAIVA", natural de Apodi, nascido a 17 de junho de 1982, filho de José Mendes Rebouças, nascido a 7 de março de 1949, filho de João Mendes Rebouças e Maria Francisca de Jesus; e Maria Mercês de Paiva, nascida a 20 de setembro de 1949, filha de Saturnino Victor de Paiva e Raimunda Oscarina de Paiva. Casou-se em 2000 com RAIMUNDA ROMANA DE LIMA, natural de Apodi, nascida a 3 de setembro de 1969, filha de João Braz de Oliveira e Antonia Moreira de Oliveira, com os seguintes filhos: MARIA CLARA LIMA PAIVA, nascida a 28 de setembro de 2001 e MARIA CLARICE LIMA PAIVA, nascida a 22 de fevereiro de 2006. È acadêmico de Letras na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Campus de Mossoró. Trabalhou por vários anos na Rádio Vale do Apodi (AM – 1030 Khz ), a Voz do Oeste, fundada em 23 de junho de 2002. de propriedade do ex-deputado federal Ney Lopes de Souza. Colunista dos jornais: “O VALE DO APODI”, de propriedade de Marcio Morais, fundado a 4 de janeiro de 2003 e do jornal “TRIBUNA DO OESTE”, impresso em Mossoró, do jornalista ISAIAS GARCIA, o conhecidíssimo SHAOLIN. E atualmente trabalho no Jornal de Fato, fundado a 28 de agosto de 2000. Editado em Mossoró. Membro e vice-presidente da Academia Apodiense de Letras, fundada em 23 de março de 2006, cadeira 23, que tem como patrono o saudoso RAIMUNDO VALDOCI DE MELO, natural de Apodi, nascido em 26 de setembro de 1948 e faleceu em 1º de janeiro de 2004, filho de Sebastião Oliveira Pinto e de Francisca Gomes de Melo. Jota Paiva é jornalista e escritor

Joelina Adriana (vice-diretora da Escola Lourdes Mota) - 1.ª secretária
Magda Silveira (professora e coordenadora pedagógica) - 2.ª secretária
João Dehon de Sousa (professor de Matemática da escola) - Tesoureiro
Victor Lima (Estudante do ensino médio - Cefet) - Diretor social
Genildo Sousa (diretor da Casa de Cultura de Apodi) - Diretor cultural

PATRONO DA AEL

PATRONO
A primeira AEL de Apodi recebeu como patrono maior o cordelista Antônio Francisco. A escolha deste poeta pode até ter causado estranheza a alguns que não conhecem o Antônio e seu tão rico e belo trabalho. Além de um dos maiores cordelistas do Brasil, ele é também um grande compositor e já vem até sendo chamado de o “novo Patativa do Assaré”, devido à qualidade de seus versos. Como um dos maiores objetivos da nossa AEL é valorizar a cultura potiguar, torna-se mais do que justa a escolha desse importante poeta norte-rio-grandense, pois se há algo que encanta é a poesia do cordelista Antonio Francisco. Mesmo para quem não gosta de poesia, seus versos são encantadores.Outros talvez questionem o fato de não ter sido um escritor apodiense o homenageado. Vale no entanto esclarecer que vários escritores apodienses foram, sim, homenageados por nossa academia, dando nome a boa parte das 16 cadeiras literárias (ver quadro acima) e muitas cadeiras certamente ainda serão criadas em homenagem aos talentos literários apodienses e potiguares. É importante frisar ainda que a escolha dos patronos da AEL é feita pelos próprios acadêmicos e assim ocorreu com o nome do Antônio Francisco. O motivo da escolha ficou bem claro para quem esteve, ontem, na Casa de Cultura de Apodi, e pôde ver o poeta rodeado pelas acadêmicas que, encantadas, ouviam-no contar suas aventuras e declamar seus tão belos versos evidenciando a empatia, o carinho e a paixão mútua que já existe entre o patrono e as meninas.
LAMENTÁVEL
Lamento tão somente que as autoridades maiores da educação e cultura de nosso município não tenha comparecido ao evento. Não consigo entender que pessoas que se dizem intelectuais e/ou representantes do povo não apareçam, nem enviem representantes ou sequer se justifiquem a tempo por sua ausência, ao serem convidadas para um evento em que se apresenta a sociedade alternativas de se construir um mundo melhor e mais humano, afinal como diz nosso lema: "A cultura forma sábios; a educação, homens."Mas como bem disse nosso patrono Antônio Francisco, quem perdeu foram eles que deixaram de ver tão lindas representações literárias, tão belas apresentações, tão emocionantes momentos que, como afirma em seu blog o João Moacir, escreveram o nome de Apodi mais uma vez na história, desta vez por ser a primeira cidade do Nordeste a ter uma academia desse tipo e a única no país fora do estado de São Paulo. Mas a ausência dessas autoridades não conseguiu ofuscar o brilho dessa estrela que na noite de 04 de dezembro de 2008 reluziu nos céus de Apodi.
AGRADECIMENTO
Quero aqui registrar meus agradecimentos às autoridades presentes na solenidade:o poeta Antônio Francisco;o grande Caio Cezar Muniz, patrono da Cadeira 16 da AEL;o coordenador da Regional do SINTE, Pedro Filho;o Diretor da Escola Gerson Lopes, Prof. Genildo Carlos;o Diretor da Rádio Cidade FM, Fábio Soares,os representantes da Fundação Municipal da Juventude, Ilderlon Lins e Ravardierisson;a representante da União da Juventude Socialista, Célia Fernandes;o Clube de Desbravadores Maranata;os Grupos de Escoteiros de Apodi;Quero também agradecer a presença dos pais, familiares e amigos das acadêmicas e ainda dos colegas professores, sem os quais este importante momento não teria sido possível.De forma especial quero registrar minha gratidão aos companheiros que desde o começo estiveram comigo, construindo os alicerces deste importante projeto. São eles:A Profª Sueli Gonçalves, grande incentivadora e co-responsável pela criação da nossa AEL;A Mírian Wartushi, poetisa, compositora do nosso hino;O Prof. Clauder Arcanjo, nosso presidente de honra;A Profª Joelina Adriana, 1ª Secretária da AEL;A Profª Magda Silveira, Secretária da AEL;O Escritor e Jornalista Jotta Paiva, vice-presidente desta academia;O Jovem estudante Victor Lima, Diretor Social da AEL;O dedicado Prof. Genildo Souza, nosso Diretor Cultural;Não posso esquecer-me do importante apoio da Prefeitura Municipal de Apodi, da Empresa de Refrigerantes Forró e da Regional do SINTE-RN que proporcionaram a realização do importante evento na noite de ontem. E por último, mas não menos importante, agradeço aos amigos Roberto Fernandes e Júnior Costa que ajudaram de forma incondicional na produção do cerimonial ontem realizado.A todos a nossa gratidão e o desejo de que esta parceria continue para que possamos fazer desta sociedade acadêmica, não apenas mais uma agremiação literária, mas um espaço importante de construção de leitores, escritores e, principalmente, de cidadãos.
QUEM SOMOS
Um grupo de jovens estudantes interessados no estudo de Literatura e na prática de leitura. Segue, com as adaptações necessárias, o modelo de uma autêntica Academia de Letras, ou seja, os estudantes escolhem patronos e ocupam cadeiras literárias. O corpo acadêmico da AEL é formado por 17 estudantes da Escola Municipal Profª. Lourdes Mota. Os trabalhos acadêmicos são coordenados pela Profª Rokatia Kleania e pelo Vice-Presidente da AAPOL, Jotta Paiva.
O QUE É?
Trata-se de um grupo de jovens estudantes interessados no estudo de Literatura e na prática de leitura.
A Academia Estudantil de Letras (AEL) segue, com as adaptações necessárias, o modelo de uma autêntica Academia de Letras, ou seja, os estudantes escolhem patronos e ocupam cadeiras literárias.
Esses estudantes, além de realizarem estudos literários, participarão de reuniões acadêmicas e passeios culturais; organizarão e realizarão saraus, concursos literários, e apresentarão seminários sobre os seus autores; “imortalizarão” os seus patronos, na medida em que, ao saírem da escola ao final do curso, ou por outro motivo ao longo do processo, são substituídos pelos suplentes que, a partir do momento em que decidem sê-lo, já passam a freqüentar a Academia e a acompanhar os titulares nos estudos literários, para posteriormente assumirem a cadeira pretendida.QUEM PODE PARTICIPAR DA AEL?
Inicialmente participarão do corpo acadêmico da AEL 20 estudantes do Ensino Fundamental maior (6º ao 9º Ano) da Escola Municipal Profª Lourdes Mota. No entanto é nosso objetivo futuramente ampliar o grupo e abrir a participação para outros alunos, inclusive, quiçá, de outras escolas.

OS ACADÊMICOS
Os estudantes que compõem a academia são chamados de acadêmicos. Inicialmente, a Academia Estudantil de Letras Poeta Antonio Francisco será constituída por 20 (vinte) acadêmicos, que, em ato solene de posse, ocuparão 20 (vinte) cadeiras literárias, representando nomes importantes da Literatura Potiguar, autores clássicos e atuais, incluindo a literatura popular, com representatividade proporcional, em relação à poesia e à prosa.
NOSSO LEMA:
"A cultura forma sábios; a educação, homens."
Estudar nunca é demais. E quando se trata de literatura, essa atividade é ainda mais envolvente, pois a escrita, a linguagem e o joguete de palavras inebriam qualquer pessoa que se propõe a aprofundar conhecimentos. É com o objetivo de estimular a leitura, bem como o aprimoramento dos estudos literários, que os estudantes da Escola Municipal Professora Lourdes Mota, da cidade de Apodi, formaram um grupo de discussão em maio deste ano.
Hoje, esse grupo está sendo oficializado com a criação da Academia Estudantil de Letras Poeta Antônio Francisco (AEL). De acordo com a presidenta Rokátia Kleania, a AEL foi formada através de uma parceria da escola com a Academia Apodiense de Letras.
A Academia Estudantil de Letras segue os moldes de uma autêntica Academia de Letras: os estudantes escolhem patronos e ocupam cadeiras literárias; realizam estudos e participam das reuniões acadêmicas; organizam e apresentam seminários sobre os seus autores; "imortalizam" os seus patronos, na medida em que, ao saírem da escola no final do curso, ou por outro motivo ao longo do processo, são substituídos pelos suplentes, que a partir do momento em que decidem sê-lo já passam a freqüentar a Academia e a acompanhar os titulares nos estudos literários para, posteriormente, assumirem a cadeira pretendida.
Rokátia Kleania conta que a idéia surgiu quando, acessando a Internet, encontrou a AEL Padre Antônio Vieira, da cidade de São Paulo. "Eu entrei em contato com a professora Sueli Gonçalves e ela me repassou informações. A partir disso, eu tomei a iniciativa de criar um grupo de estudantes, e desde maio deste ano, estamos fazendo reuniões uma vez por semana."
Dentre os objetivos da AEL estão desenvolver o gosto pela leitura nos alunos que já possuem vocação literária e despertar naqueles que não a possuem o desejo de adquirir essa competência, promovendo a inclusão social na aquisição da linguagem e da leitura do mundo, propiciando a elevação da auto-estima como fator preponderante na obtenção de outras habilidades.
Além de conhecer e valorizar a cultura e a literatura potiguar, os alunos estão preenchendo de maneira salutar o tempo ocioso, evitando que se perca em divagações errôneas.
Segundo Rokátia, a AEL já está com atividades planejadas para o próximo ano, como visitas a museus, exposições de arte, saraus, cinemas, teatros, feiras de livro, entre outras, dentro e fora da cidade. Em janeiro, o escritor Clauder Arcanjo fará uma palestra para o grupo. "Queremos também incluir outras artes, como a promoção de oficinas de teatro. Na verdade, pretendemos mexer com a garotada para abrir o leque para ter mais contato com a cultura", afirma.
Inicialmente, a AEL será constituída por 16 acadêmicos, que, em ato solene de posse, ocuparão 16 cadeiras literárias, representando nomes importantes da literatura potiguar, autores clássicos e atuais, incluindo a literatura popular, com representatividade proporcional, em relação à poesia e à prosa.
PATRONO
A escolha do poeta Antônio Francisco Teixeira de Melo para ser patrono maior da AEL se deu pelo fato de esse poeta mossoroense ser um dos principais expoentes da literatura popular do Rio Grande do Norte.

QUADRO ACADÊMICO

QUADRO ACADÊMICOADEIRA Nº 1:
ANTÔNIO FRANCISCO

Antônio Francisco Teixeira de Melo, natural de Mossoró-RN, nascido a 21 de outubro de 1949, filho de Francisco Petronilo de Melo e Pêdra Teixeira de Melo. Graduado em História pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Poeta popular, cordelista, xilógrafo e compositor, ainda confecciona placas. Aos 46 anos, muito tardiamente, começou sua carreira literária, já que era dedicado ao esporte, fazia muitas viagens de bicicleta pelo Nordeste e não tinha tempo para outras atividades. Muitos de seus poemas já são alvo de estudo de vários compositores do Rio Grande do Norte e de outros estados brasileiros, interessados na grande musicalidade que possuem. Em 15 de Maio de 2006, tomou posse na Academia Brasileira de Literatura de Cordel, na cadeira de número 15, cujo patrono é o saudoso poeta cearense - Acadêmica: GLÊNIA ELLEN SOARES DA COSTA. Conheço esse poeta desde menino quando jogavamos bola nas comunidades de Lagoa de Pau, Serrote, Morcego, Camurim e tantas outras, alias, corriamos atrás dela, tendo em vista que nós dois nunca fomos bons jogadores de futebol, o exemplo está aí, eu fui ser policial militar e ele poeta

CADEIRA Nº 2: LUÍS DA CÂMARA CASCUDO - Acadêmica: NATÁLIA DA SILVA ARRUDA


CADEIRA Nº 3: VALTER DE BRITO GUERRA - Acadêmica: ROKÁTIA LORRANY N. MARINHO

CADEIRA Nº 4: JOSÉ MARTINS DE VASCONCELOS - Acadêmica: KARINE PÉRSIA DE LIMA GAMA

CADEIRA Nº 5: JOSÉ LEITEA - Acadêmica: MARIA ISABELA DE OLIVEIRA

CADEIRA Nº 6: MARCOS PINTO - Acadêmica: MARINA
Natural de Santana do Acaraú (CE), 41 anos, casado, pai de três filhos. Um cearense que tem Mossoró como sua terra por adoção. Engenheiro, escritor, poeta, cronista. Mas, gosta mesmo de ser apresentado, e saudado, como professor. Ensina na UERN – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte e da UnP – Universidade Potiguar. Segundo ele, é nesse exercício que se realiza plenamente. Um dos idealizadores do Projeto Pedagogia da Gestão, com várias realizações voltadas para gestão, educação e cultura.
Cronista semanal do Jornal Gazeta do Oeste (Mossoró-RN), resenhista literário do Jornal Literário Mensal O Clandestino, Menção honrosa do Prêmio de Poesia Luiz Carlos Guimarães 2003, promovido pela Fundação José Augusto – Natal/RN. No prelo, ainda inéditos, um livro de poesia e outro de contos e crônicas. engenheiro e escritor Antônio Clauder Alves Arcanjo, nascido em Santana do Acaraú - CE, aos 3 de março de 1963. É cronista, resenhista, literário e colaborador de sites, revistas e jornais em vários estados do País. Em 4 de agosto de 200 tomou posse como membro do Instituto Cultural do Oeste Potiguar (ICOP). Conheça um pouco da vida deste escritor que criou um selo editorial e se tornou uma importante figura da cultura mossoroense.
Eu sou um cearense-mossoroense, nascido no Ceará, mas radicado desde 1986 em Mossoró, município este que me abraçou e me acolheu. Inclusive, já recebi o título de cidadão mossoroense.

CADEIRA Nº 7: CLAUDER ARCANJO -Acadêmica: KATHERINE LAUCIENE CARLOS
CADEIRA Nº 8: AUTA DE SOUZA - Acadêmica: FRANCISCA WILIANNE DA COSTA SILVA
CADEIRA Nº 9: ZILA MAMEDE - Acadêmica: BÁRBARA MICHELLE PINTO MARINHO
CADEIRA Nº 10: MARIA AUXILIADORA MAIA - Acadêmica: BRUNA RAFAELA GOMES DE PAIVACADEIRA Nº 11: DORIAN JORGE FREIRE - Acadêmica: LÍVINA PAIVA DE MORAIS
CADEIRA Nº 12: VICENTE SEREJO - Acadêmico: RAIMUNDO JOVINO DE OLIVEIRA NETO
CADEIRA Nº 13: DIÓGENES DA CUNHA LIMA - Acadêmica: HELLEN JAMILLY BENEVIDE
CADEIRA Nº 14: JERÔNIMO VINGT-UN ROSADO - Acadêmica: LUÍSA MARIA DE ALMEIDA COSTA
CADEIRA Nº 15: FRANCISCO MARTINS - Acadêmica: DANIELE DA SILVA LIMA
CADEIRA Nº 16: HOMERO HOMEM HOMERO HOMEM DE SIQUEIRA CAVALCANTI, Nasceu no Engenho Catu, de propriedade de seu pai - no município de Canguaretama, Estado do Rio Grande do Norte - em 05 de Janeiro de 1921. Descendente de velhos troncos, formadores do nordeste e do Brasil, que enfeixam sangue judeu, português e italiano. Um de seus ancestrais, Mascarenhas Homem, capitão-mor de Penambuco, foi o fundador do Forte dos Reis Magos, à entrada da Barra de Natal e trampolim da ocupação lusitana do Rio Grande do Norte até o Amazonas.
É co-fundador da seção carioca da União Brasileira de Escritores, da qual foi secretário, e fundador da Associação dos Escritores Profissionais da Guanabara, ao lado de Adonias Filho, José Louzeiro, Rachel de Queiroz, Carlos Drummond de Andrade, Plínio Doyle e outros.
A obra literária de Homero Homem - onde a sua grande poesia talvez seja a nota dominante - alinha também o romance, a crônica, a novela, o conto e o teatro. São obras de sua autoria: Cabra das Rocas (Editora Ática, São Paulo), lançado em reedições dentro e fora do país, que já ultrapassam os 350.000 exemplares. Menino de Asas, também sucesso de crítica, adotado desde as escolas de ensino médio às universidades, já ultrapassando 400 mil exemplares de tiragem. Jornalista profissional, os primeiros passos foram dados ainda no Rio Grande do Norte. Homero Homem no Rio, trabalhou como redator político e repórter especial do Diário de Notícias junto a Câmara dos Deputados, além de colaborador do suplemento literário desse matutino. O Estado de São Paulo, Manchete, Última Hora, Revista do Globo, Leitura, foram as etapas posteriores de sua atividade na imprensa.
Acadêmica: ALLYNE LUYZA
CADEIRA Nº 17: CAIO CÉSAR MUNIZ - Acadêmica: THAYANNE SANTOS.

PRIMEIRA PREFEITA DE APODI

UAL ADMINISTRAÇÃO
GORETE PINTO 1ª APODIENSE A REPRESENTAR O SEU POVO COM UM MANDATO LEGISLATIVO E EXECUTIVO
MARIA GORETE DA SILVEIRA PINTO natural de Apodi, nascida a14 de abril de 1956, filha do ex-vereador Francisco Silveira, conhecido popularmente pela alcunha de “MANU” DE “CABOCLO” (8/5/1926) e de Alice da Silveira. Casada com o Dr. Klinger Péricles Pinto Diniz, é a nova responsável pelos destinos do município. A programação de posse da nova prefeita teve início às oito horas da manhã do dia primeiro de dezembro de 2009.com celebração de uma missão na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Às nove horas, os vereadores se reuniram no plenário da Câmara Municipal para empossar o poder executivo. Após cumprir o protocolo, o poder legislativo apodiense empossou a primeira mulher da história que irá governar o município. Em seguida, Gorete se dirigiu à prefeitura para, ao lado do seu vice, Evandro Marinho de Paiva (PRB), o Vandinho, receber as chaves da cidade. Às 10h30, ela fez o seu primeiro pronunciamento oficial. Gorete Pinto ingressou na política em 2000 quando foi eleita a primeira apodiense a representar o seu povo com um mandato eletivo, já que as duas últimas mulheres que exerceram o mandato de vereadora, a primeira foi Raimunda Alves da Costa assume que assumiu em abril de 1972, na condição de suplente, na vaga deixada pelo seu irmão Valdemiro Viana, eleito em 15 de novembro de 1968, que renunciou o cargo para se candidatar a prefeito; a segunda foi Maria de Fátima Gomes Nobre e Silva, porém, ela não nasceu em Apodi, e sim, em Tabuleiro Grande, daí, Gorete de fato e de direito é a primeira vereadora e prefeita apodiense.Em 01 de outubro de 2000 ela foi eleita com 1759 votos. Em 3 de outubro de 2004 elegeu-se vice-prefeita na chapa encabeçada pelo Dr. José Pinheiro Bezerra e em 5 de outubro de 2008 foi eleita prefeita

PRIMEIRA VICE-PREFEITA E APODI

PROFESSORAMARIA ZULEIDE MARINHO– 1ª mulher apodiense vice-prefeita, nascida em 26 de setembro de 1944, filha de Antonio Francisco de Lima e de Julia Senhorinha de Lima, natural de Apodi, nascida a 19 de junho de 1913, filha de Manoel Domingos do Rosário e Ana Senhorinha de Lima. Casou-se em 21 de julho de 1964, com Hélio Morais Marinho (08/03/1938 – 21/3/1985), filho de Braz Marinho Sobrinho e Zulmira Bezerra de Morais, com os seguintes filhos: ANTONIO FILHO NETO (11/11/1966 – 05/09/1986), com uma filha: JULIANA POLLYANA TORRES SILVA, nascida a 8 de outubro de 1985, com ÂNGELA MARIA TORRES SILVA, nascida a 30 de dezembro de 1965, filha de Pedro Torres e Sebastiana Marinho Torres; MARIA ELIOMAR MARINHO, nascido a 16 de março de 1969, MARCOS MARCONES MARINHO, nascido a 6 de julho de 1970; MARIA GECINA MARINHO, nascida a 24 de junho de 1967, casada com Tibúrcio Marinho da Costa, nascido a 9 de março de 1960, filho de Cássio Tiburcio Marinho e Zélia Morais Marinho, HÉLIO MORAIS MARINHO FILHO e MARCELO MARINHO: MARIA ELIOMAR MARINHO. Estudou no Colégio Sagrado Coração de Maria, em Mossoró e concluiu o Projeto Logos II em Apodi. Foi minha professora na Escola Estadual Ferreira Pinto, em Apodi, no período de 1983 a 1985. No período de 1983 a 1986, exerceu o cargo de Secretaria Municipal do Bem Estar Social e Primeira Dama de Apodi. Em 15 de novembro de 1988 foi eleita a primeira vice-prefeira de Apodi,

SÍMBOLOS DE APODI

BRASÃO MUNICIPAL
BRASÃO, com proporções de oito por sete de altura e largura respectivamente, com uma configuração Oval, graficamente representado por dois Arcos em pé, três flexas em formato de cruz, sendo uma em pé e duas horizontais e confrontados, e uma Lança em posição vertical, com a ponta para baixo e em sentido de cor Amarela, passando pelo centro da cruz. No centro desta cruz, um papel em forma de Pergaminho, incrustando-se no seu centro os nomes, pela ordem, de cima para baixo, “Poty”, “Pody”, “Apodi”. Logo abaixo do Escudo, completando-o, duas mãos até a metade dos antes-braços, em aperto amigável, sendo a que vem do lado do Mastro. Em disposição fronteiriça.

HINO
No dia 3 de março de 1914, o professor Lourenço Gurgel de Oliveira, natural de Caraúbas (8/1/1876), filho de José Gurgel do Amaral e Oliveira e de Isabel Alexandrina de Oliveira, então diretpor do Grupo Escolar “Ferreira Pinto”, na cidade do Apodi, expede a Portaria de nº 22, adotando oficialmente o Hino Municipal do Apodi, com letra e música de autoria do apodiense José Martins de Vasconcelos (11/11/1874 – 1960)

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

PORTAL TERRAS POTIGUARES  NEWS
A MAIOR FONTE DE INFORMAÇÕES ANTIGAS E ATUAIS DO RIO GRANDE DO NORTE, COM 17 BLOGS E 1483LINKS. A SUA ENCICLOPÉDIA DIGITAL NA INTERNET, CRIADO PELO STPM JOTA MARIA NO DIA 28 DE DEZEMBRO DE 2008

STPM JOTA MARIA

STPM JOTA MARIA
HONESTIDADE, HUMILDADE E SINCERIDADE

Quem sou eu

Minha foto
ESTE É O 9º BLOG DO PORTAL OESTE NEWS, CRIADO PELO STPM DA RR PM JOTA MARIA, DA GLORIOSA E AMADA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE